quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Pizza não é cultura

Uma das últimas incursões do Papa Poluição em São Paulo foi mais que um show: foi uma espécie de movimento cultural para salvar o Teatro 13 de Maio. Afinal aquele era um dos principais espaços de música na cidade. Foi lá que assisti shows como o de lançamento do Moto Perpétuo, grupo que praticamente lançou Guilherme Arantes, e da banda de rock Joelho de Porco, integrada por Tico Terpins (anos depois, no estúdio Áudio Patrulha do Tico e do Zé Rodrix, eu gravaria Cabelos de Sansão).

Pois bem. O Teatro 13 de Maio estava prestes a se tornar uma pizzaria, e precisávamos fazer algo. Conseguimos algumas datas na pauta do teatro ameaçado. E então começamos a mobilizar músicos e poetas para tentar impedir o fechamento daquele espaço. Acorreram artistas como Jorge Mautner e Eliete Negreiros, que se alternaram ao Papa Poluição nas apresentações musicais. Poetas organizaram uma exposição de livros no saguão do teatro. Disponibilizamos diversos tubos de spay para o público pichar as paredes da casa (uma das frases anônimas que resultou disso tudo é a que dá título a este post).

Conseguimos aumentar a sobrevida do Teatro 13 de Maio por alguns meses, ao que me lembro. Hoje, pelo que vi na internet, no local está instalado um café. A Dalvinha, irmã do Paulo Costa, me lembrou esses dias que foi o Papa Poluição que fez o show de fechamento do Teatro. O nome do show: Venha passar o Natal com o Papa.

Num país de tantas CPIs que acabam em pizza, mas tão rico de manifestações artísticas e culturais, ficou aquele toque marcado em spray na memória: "Pizza não é cultura".


Tiago Araripe


Montagem fotográfica (da esquerda para a direita): Em cima, Beto Carrera, Bill Soares, José Luiz Penna; embaixo, Paulo Costa, Tiago Araripe, Xico Carlos.

5 comentários:

berakah13 disse...

Delícia teu blog Araripe.
Nada contra igrejas, mas por aqui a cultura é trocada por óleos e fogueiras santas de Israel
Beijoca pra você.
Márcia.

Cabelos de Sansão disse...

Bom saber que o Blog está ficando internacional, Márcia. A propósito: o que vem a ser berakah13? Aliás, a dúvida é mais quanto ao 13 - Britannica online encyclopedia article on berakah: in Judaism, a benediction (expression of praise or thanks directed to God) that is recited at specific ...

Dalvinha disse...

Pois é...um belo teatro transformado em Bingo, depois em café.Não poderia ser um café musical, com músicos, bandas cantando.Não....acho que cultura nesse país é uma coisa sem impotância.O ministro da cultura é Gilberto gil e o que ele faz pela cultura???É o 13 de Maio não poderia sobreviver mesmo.Pena!!!
Dalvinha

berakah13 disse...

Nossa, demorei pra voltar aqui, mas vou responder.
Sinto muito desaponta~lo, mas vindo de mim, não tem nada de internacional não, hehe.
Olha, eu sou cantora, gravei um cd...hum..não é gospel porque é brasileiro, mas fala das coisas de Deus e BERAKAH é o nome do cd, do hebraico que significa "Benção", no sentido concreto de '"dom generoso", o número 13 é porque tem 13 canções, mas não tem nada de esoterismo nesta história, eram 12 e na última hora entrou mais uma.
Beijoca pra vc.

Cabelos de Sansão disse...

Não me decepcionei, Márcia. Bom tê-la de volta e saber que você canta coisas de Deus. Sucesso para seu Berakah13 e que ele seja uma bênção para você. Volte sempre.