quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

Um alternativo na Veja

Em maio de 1982, a grande novidade na mídia foi a Guerra das Malvinas. Fazia tempo uma guerra não chegava tão perto, embora elas continuem insistindo em entrar em nossa sala pela tela da TV. Ingleses e argentinos à parte, Cabelos de Sansão chegava ao front da grande imprensa. Na sua edição de 26 de maio, a despeito da invasão da capa, a revista Veja abriu o que me pareceu um generoso espaço para comentar o disco. Uma pequena vitória da música alternativa. Houve credor que me ligou, achando que eu atingira o sucesso e estava rico. Mero paradoxo.

O artigo que você vai ver a seguir é do jornalista Okky de Souza. O título, à época, me pareceu mais uma ironia: eu não estava vivendo um casamento feliz. Ainda bem que o tempo cura e refaz. Ainda bem que a gente tem sempre a chance de rever a própria história com um sorriso nos lábios.

Tiago Araripe

2 comentários:

Francisco Assis disse...

"Cabelos de Sansão" é uma obra-prima: "Cá ou lá posso ser a estrela/Ser a selva e ser o leão/ Mas você só você me completa/Um mistério na palma da mão". E os verdadeiros mistérios não se esgotam, se renovam. Tô nessa.
Assis.

Cabelos de Sansão disse...

Caro Assis,

Vindo de um poeta, letrista de trabalhos musicais tão bonitos como "Baile do Menino Deus" e outros, seu comentário tem muito valor. Grande Abraço
Tiago Araripe