terça-feira, 15 de julho de 2008

Cine Cassino, o cinema e a letra

Foto: Pachelly Jamacaru

Neste prédio - localizado na Praça Siqueira Campos, na cidade cearense do Crato - funcionou durante muitos anos o Cine Cassino. No saguão haviam a bilheteria e os expositores com os cartazes dos filmes. Antecipavam as emoções que aconteciam na sala escura. É sempre mágico o tempo da nossa infância e adolescência. Strawberryfields forever.

Tiago Araripe



Imagem extraída do encarte do CD
Cabelos de Sansão: Andrea Pedro


16 comentários:

Carlos Rafael Dias disse...

O Cine Cassino alimentou muitas ilusões (e fantasias) em muitas gerações cratenses. Em 1984, você, Tiago, voltou ao Crato, nessa época de Expocrato e cantou a música (Cine Cassino) no único palco que havia na época no parque da exposições (o palanque do picadeiro). E, naquela ocasião, homenageou Otacílio, homem polivalente do Cine Cassino (bilheteiro, porteiro e lanterninha. Lembra?

Cabelos de Sansão disse...

lembrei depois que você me disse, rafael. existem dados mais concretos do cinema, tipo quando foi construído, até quando funcionou efetivamente como cine cassino?...
abs.

Carlos Rafael Dias disse...

A propósito, a edição do jornal Folha de Piqui de maio/junho de 1989. publicou uma foto histórica do Cassino, seguida da nota:

"A foto histórica que se vê reproduzida na capa foi feita provavelmente no final dos anos 20, por Pedro Maia. Trata-se do Cassino Sul Americano e que foi inaugurado em 1918, com a projeção do filme 'Tom Mix'. Funcionava como bar no pavimento inferior, como cassino no pavimento superior e cinema nos fundos. Na época, os proprietários eram o Dr. Raimundo de Norões Milfont e Dr. Belém e eram arrendatários Cícero Araripe (Cassino e Bar) e Dr. Rolim (cinema). As dependências do CSA eram cedidas para encontros culturais, artísticos e literários, entrega de diplomas e conferências. Ficaram famosas na região conferências de Leonardo Mota e de Severino Sombra, este em busca de adeptos para o integralismo. No CSA Luiz Gonzaga fez também o seu primeiro show no Cariri, após fazer sucesso no sul. o CSA não foi, porém, o primeiro cinema do Crato. Tivemos antes dele o Cine Paraíso, que funcionava onde hoje é a Biblioteca Municipal (próximo da Praça da Sé). Na época, o cinema era mudo e o acompanhamento feito por uma orquestra (a ela se seguiram um piano, uma radiola e finalmente o cinema falado). Havia uma sirene (que pode ser vista na foto) e que tocava por três vezes antes do início das sessões, sendo ouvida praticamente em todo o Crato. A preservação deste monumento arquitetônico é a preservação da nossa própria história."

Cabelos de Sansão disse...

ótimo, carlos rafael.
existe a foto digitalizada?
abs.

Dalvinha disse...

TIAGO, Zeca Baleiro cantou pra mim, num dos bailes do Baleiro Cine cassino, fiquei tão emocionada.Vc sabe adoro essa música, me lembra as tardes na rua Girassol, vc e Zé cantando na sala
Tô anciosa pra ter esse CD nas mãos.Paulinho tá tão encantado com a parceria de vcs.Eu também, tem saído tantas coisas maravilhosas "IDÉIAS" ultimamente a minha preferida.Vocês tem uma delicadesa pra compor, tanto letra quanto música,arranjo,voz.Sou fã da DUPLA do aANO.rsrsrsrs fora a corujisse, mas é sério.Eu mostro idéias pra todo mundo que ficam encantados.Que Caetano que Nada, Paulo Costa e Tiago araripe....ele são os caras.Cada dia que passa te admiro mais.É de coração, e vc sabe que é.Beijos musicais.
Dalvinha

Carlos Rafael Dias disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cabelos de Sansão disse...

"cine cassino" é uma das minhas canções prediletas do "cabelos de sansão", dalvinha. tive oportunidade de cantá-la com baleiro, há alguns meses, no dragão do mar em fortaleza.
bom saber que, mesmo não sendo dançante, ela animou a imaginação das pessoas no baile do baleiro.
abs.

Pachelly Jamacaru disse...

Lembro bem dos artifícios que fazia para ludibriar o nosso saudoso Otacílio (in memorian) e, assistir sessões do Velho-Oeste ou imprópria para menores de 14! Certa vez, o ingresso do cinema era igualzinho a um pacote de figurinhas de álbuns que eram uma febre na época, então não deu outra, esperei a hora de maior aglomeração e passei o pacotinho para Otacílio que depois me procurava com sua lanterninha! k k k... Quando não era assim, esperava terminava uma sessão e entrava de ré pelo portão de saída em meio à multidão que geralmente lotava nas tardes de domingo, rs rs rs...
Quem viveu o Cassino, jamais esquece!

Cabelos de Sansão disse...

boas lembranças, pachelly. e grato pela foto que você fez especialmente para este blog.
grande abraço

Crisper disse...

Caramba, conheci ontem esse album do Tiago Araripe e me apaixonei por essa música. Agora, com o seu post, essa foto do cinema e os comentários de todos aqui, acabei me apaixonando mais ainda pelo disco e letra e cinema: fenomenais! Peço licença pra publicar no meu blog, com as devidas identificações, claro! Abs e obrigado pelo post. Gostei demais!

Cabelos de Sansão disse...

olá, crisper.

certamente que pode.
agradeço pelo seu interesse.
e, por favor, me mande o endereço do seu blog.

abraço musical

Crisper disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cabelos de Sansão disse...

volte mais vezes, crisper.
e fale do seu blog: aqui passa muita gente ligada em música e cultura.
abraço

Crisper disse...

Escrevi aqui: www.ohmyrock.blogspot.com . Meu blog é mais de coisas que gosto, músicas que ouço, nada de especial. Vou passar por aqui sempre sim. Espero que goste do texto. Abs

Cabelos de Sansão disse...

gostei do texto sim, crisper.
e enviei para seu e-mail um post que informa link para a rádio uol, onde é possível ouvir as faixas do cd - inclusive "cabelos de sansão".
abraço

Crisper disse...

Já fiz o upgrade! abs! =]